EDUCAÇÃO / TECNOLOGIA / UTILIDADE PÚBLICA

Modelos de software: Enlatado, customizado ou colaborativo

Enlatado, customizado, colaborativo ou desenvolvimento continuado? Exite vários modelos de desenvolvimento e distribuição de softwares. Veja aqui uma análise de cada um deles.

Uma característica importante no desenvolvimento e comercialização de software é o modelo adotado para o mesmo. Programadores, analistas e empreendedores do desenvolvimento de software precisam analisar e tomar uma decisão de como irão criar e distribuir seus programas. Como este é um assunto de interesse aulas de análises de sistemas ou sistemas de informação, coloquei abaixo alguns modelos de software que são usados e como é feito a definição de preços de cada um.

Enlatado

São softwares prontos e fechados, ou seja, não permitindo customizações, apenas parametrizações.

Exemplos: Windows, Office, programas de folha de pagamento, contabilidade e outros softwares de gestão vendidos em caixas fechadas nas lojas especializadas.

Preço: O preço também é fechado e geralmente o valor é aplicado por licenças.

Enlatado com customização

São softwares prontos, porém permitindo a inclusão de outros módulos ou customização do mesmo. Este modelo usa os conceitos de gestão de empresas mais conhecidos e aplicáveis à maioria das empresas.

Exemplos:  Sistemas de ERP, como SAP, Totvs, Oracle, entre outros.

Preço:  Neste caso são dois preços: O preço da compra do sistema (enlatado) e o preço da consultoria que fará as customizações. Este último geralmente é cobrado por hora de consultoria.

Sob medida ou customizado

São sistemas desenvolvidos de acordo com as necessidades específicas de um determinado cliente. Este modelo exige um forte relacionamento entre a equipe de desenvolvimento e o cliente a fim de levantar, analisar e refinar todos os requisitos funcionais e não funcionais do sistema.

Exemplos: Projeto do curso técnico em informática do Senac

Preço: É a parte mais difícil de definir, embora não exista uma regra, a melhor alternativa é usar do conceito de formação de preço (ver abaixo).

Colaborativo ou desenvolvimento continuado

Muitos sistemas são desenvolvidos internamente nas empresas contanto com a colaboração continua de todos os envolvidos. Este tipo de sistema nunca está pronto e sempre sofrendo alterações ou novas funcionalidades.

Os SaaS, Software as Service, conceito aplicado a software como serviço é também um bom exemplo deste tipo de desenvolvimento.

Exemplos: Google Docs, Sales Force, entre outros.

Preço: Quando for desenvolvido internamente o preço não pode ser apurado, já no caso do SaaS o preço é fruto da soma das assinaturas dos serviços.

Conclusão

Os modelos mostrados acima não esgotam as possibilidades, mas mostram os principais caminhos que as empresas de software têm adotado até hoje para criar e distribuir os sistemas de informação.

 

Veja também

Comentários

© 2008-2017 | LUIS.BLOG.BR | Política de Privacidade | Em Jesus Cristo eu confio