Resumo crítico do filme: Eu Robô de Will Smith

Os robôs são construídos pela empresa USR e cada um deles é criado de acordo com a chamada três leis. Veja a análise crítica do filme do ponto de vista tecnológico.

O filme Eu Robô narra a história que se passa no ano de 2035 na cidade de Chicago nos EUA, onde a evolução dos tempos levou o homem a construir robôs para auxiliá-lo em diversas tarefas do dia-a-dia.

As pessoas tem em casa um robô como se fosse um empregado e estes obedecem a seus senhores os servindo-os em tarefas domésticas.

Tudo parece muito bem aos olhos de todos, menos os olhos de um detetive meio paranoico que não acredita que os robôs sejam tão bonzinhos assim.

Os robôs são construídos pela empresa USR e cada um deles é criado de acordo com a chamada três leis:

  • 1) Um robô não pode por um ser humano em perigo.
  • 2) Um robô deve obedecer as ordens dos humanos.
  • 3) Um robô pode se defender.

Mas o assassinato de um dos criadores do robôs coloca o tal detetive frente a frente com a empresa  USR e consequentemente com os robôs. Ele começa a ser atacado por robôs que o persegue tentando mata-lo. Ninguém acredita nele, até que Suzan, uma psiquiátrica que trabalha na USR para tornar os robôs mais parecidos com humanos descobre que eles estão sendo influenciados por um erro de programação que gerou uma espécie de livre-arbítrio a agora eles podem agir por conta própria e desobedecer as três leis.

Daí para frente entra o heroísmo típico de Hollywood, onde o mocinho  e a mocinha realizam quase o impossível para destruir o cérebro dos robôs que está causando todo o descontrole.

O filme é puramente “hollywoodiano” e embora use conceitos aplicáveis no futuro, ele peca como sempre na insistência paranoica de muitos que a tecnologia irá dominar o homem. Mas se há algo positivo no filme, creio que é a mensagem de que em tudo há limites, inclusive no uso da tecnologia que pode ser perfeitamente boa, mas maléfica se usada de forma irresponsável.

Há contudo uma mensagem quase indistinguível, mas interessante que os erros de projetos. Muitos erros de projetos só são percebidos muito tempo depois e geralmente quando o estrago já e grande. Creio que se observado assim, veremos que os sistemas de informação são resultados daquilo que projetamos e nem sempre sabemos se os resultados serão os mesmos que esperamos.

Veja o trailler do filme Eu Robô com Will Smith:


Veja também:





// Comentários

Nenhum comentário



 

2007-2012   //   Blog do Luis   //   Política de Privacidade   //   Eu creio em Deus