Viagem Foz do Iguaçu, Paraguai e Argentina. O que você precisa saber

Veja diversas dícas para quem deseja viajar pela primeira vez para Foz do Iguaçu, Paraguai e Argentina. Cota, Cataratas, Itaipu, Compras e outras informações úteis.

Se você nunca foi a Foz do Iguaçu na fronteira do Brasil com o Paraguai e Argentina e deseja ir para conhecer não só a cidade, como os diversos atrativos da região, as dicas abaixo poderão ser bastante úteis para você. Eu já fui várias vezes e embora não seja um expert em turismo para a Tríplice Fronteira, acredito que conheço o essencial para você fazer uma viagem tranquila e sem surpresas.

Hotéis em Foz do Iguaçu

Quando falamos em viagens, uma das primeiras preocupações é com hotel. Em Foz do Iguaçu isto não é problema, pois a cidade conta com uma ótima rede hoteleira que cabe em todos os gostos e bolsos.

Minha dica para você encontrar bons hotéis em Foz e consultar o pessoal da Loumar Turismo, onde você poderá inclusive já fazer a reserva com eles. É bem prático e há boas opções. Eu indico inclusive o Hotel Baviera, que foi onde fiquei com minha família na última viagem que fiz. Não é 5 estrelas, mas combina bem preço e acomodações. Sem contar que ele tem uma excelente localização. 

Trânsito na Ponte da Amizade e Ponte da Fraternidade

Se você mora em uma grande cidade e está acostumado com o trânsito caótico, talvez não irá sentir muito o efeito do trânsito, caso contrário é melhor se preparar, especialmente na travessia para o Paraguai.

Na verdade eu acho o trânsito de Foz do Iguaçu bem tranquilo e compatível com qualquer cidade de porte médio, mas na Ponte da Amizade que separa o Brasil do Paraguai a situação é bem complicada. Se você pretende atravessar de carro é melhor ter muita paciência.

Aliás, não recomendo atravessar de carro. Minha dica e você deixar o carro em um estacionamento próximo da ponte e atravessar a pé mesmo. Isto porque a experiência de dirigir em Ciudade Del Leste não é das mais animadoras. Eu avisei!

Na Ponte da Fraternidade ou Ponte Tancredo Neves é bem tranquilo e o trânsito não preocupa. O único detalhe é que você precisa enfrentar uma fila do lado argentino na alfândega deles.

Imigração

Por falar em alfândega é bom saber que tanto no Paraguai como na Argentina a entrada para brasileiros é tranquila e não necessita de visto, contudo na alfândega argentina é necessário identificar-se e para isso todos precisam portar o RG brasileiro. A fiscalização é feita na entrada e na volta também.

Na alfândega paraguaia a coisa é bem diferente. Nunca me pararam ou fizeram qualquer tipo de identificação.

Lembrando que ao entrar nesses países você poderá permanecer lá por até 90 dias, após este prazo será necessário um visto de permanência. Mas para quem viaja apenas a turismo ou compras é tranquilo, pois a viagem é curta.

Seguro adicional de carro

Uma dica importante é você fazer um seguro adicional para o seu carro, caso a intenção seja ir de carro até a Argentina (recomendado e quase necessário) ou ao Paraguai (desaconselhável). Este seguro é conhecido como Carta Verde e ele é obrigatório para países do Mercosul. Você pode entrar em contato com a sua corretora de seguros e fazer a contratação por telefone mesmo. É bem barato, inclusive.

Cota

No caso de compras na Argentina ou Paraguai é bom saber que você tem uma cota de 300 dólares, isto é, a Receita Federal do Brasil permite que você volte ao Brasil com mercadorias compradas em outros países que somem no total até 300 dólares. Caso você tenha comprado mais do que isto será necessário pagar o importo do valor adicional, ou seja, caso suas compras totalizem 500 dólares, terá de pagar imposto sobre 200 dólares. Neste o imposto é de 50%, ou 100 dólares, para o exemplo citado.

Lembrando que esta cota é para travessia terrestre, em caso de travessia por avião a cota é de 500 dólares.

Compras no Paraguai 

Todo cuidado e prudência é pouco. Basta caminhar uns poucos metros fronteira a dentro e você logo descobrirá porquê. Há muitas lojas, muitas mesmo e a variedade opções de compras são imensas. Eletrônicos, bebidas, bugigangas, perfumes, entre outros. É até difícil escolher onde comprar.

O mais importante é você tomar cuidado com o que compra na rua, neste caso evite: pendrive e outros pequenos eletrônicos, perfume, entre outros. A chance de você estar comprando gato por lebre é enorme. Minha esposa comprou um pendrive (por um preço incrivelmente baixo), mas ao chegar aqui ela percebeu que só tinha a carcaça de plástico.

Compre nas lojas e mesmo assim fique bastante atento. No caso de eletrônicos o ideal é testar lá mesmo e também pegar a nota de compra (uma espécie de nota fiscal paraguaia). Em muitas lojas é possível fazer a troca em caso de defeito.

Os preços já foram melhores, mas em caso de bugigangas e alguns tipos de produtos ainda vale a pena. Se você foi a Foz para turismo, não custa dar uma olhada se você encontra algo interessante e com preço bom. 

Cataratas do Iguaçu

Voltando ao Brasil, a opção mais interessante é sem dúvida nenhuma as Cataratas do Iguaçu. Um conjunto de quedas de água gigantescas que criam uma das paisagens mais belas da terra. Vale muito apena conhecer. 

Neste caso há duas opções: as cataratas do lado brasileiro e do lado argentino. Antes de você perguntar qual é a melhor opção e em qual lado você deverá ir, eu diria que as duas opções devem ser consideradas.

São experiências diferentes, com pontos de vistas diferentes e portanto visite os dois lados.

  • Lado Brasil: R$ 29,00 por pessoa. Você vai de carro até a entrada do Parque Nacional do Iguaçu e de lá em diante a viagem é feita em um ônibus de dois andares sem vidro nas janelas para que você possa apreciar o Parque Nacional. A viagem dura uns 15 minutos até as Cataratas. Ao chegar lá você faz todo o circuito a pé. 
  • Lado Argentina: 200 pesos por pessoa (em torno de R$ 50,00). Você deve atravessar a ponte e logo após a alfândega argentina seguir a esquerda. Basta seguir as placas até a entrada do Parque Nacional onde você deixa o carro e faz o percurso interno a pé.

Do lado argentino o percurso é bem longo e melhor você levar muita água e um lanche, pois dentro do parque, nas lanchonetes o preço é altíssimo. Aliás, eu achei quase tudo muito caro na Argentina.

Dos dois lados: leve repelente e muito cuidado com comida próximo dos Quatis. Há muitos desses animais lá e eles costumar pular em você se você estiver comendo.

Ah. Compre uma capa de chuva, caso não queira sair de lá ensopado. As melhores experiências são quando você chega muito próximo das quedas de água.

Usina de Itaipu

Outra opção que você precisar conhecer é a Usina Binacional de Itaipu. Ela fica a aproximadamente 12 km do centro de Foz do Iguaçu e a melhor forma de ir até lá é de carro. A usina construída por Brasil e Paraguai para a geração de energia elétrica é uma monstruosidade que impressiona muito por seu tamanho e pelos números que você ouve por lá.

Há dois tipos de passeio: um mais básico onde você é levado de ônibus panorâmico para conhecer a estrutura externa da usina, inclusive passando em baixo e em cima da barragem. Outra que é chamada de circuito especial onde além da visita externa, você visita a parte interna da usina até as turbinas. Esta última só pode ser feita por pessoas acima de 14 anos.

Eu fui na primeira apenas, pois estava com meu filho de 10 anos.

Onde comer

Há boas opções em Foz do Iguaçu e muitas pessoas gostam de ir a Puerto Iguazu na Argentina para comer. Eu fui e me arrependi. Muito caro e no meu caso não achei tão boa assim a comida.

Você acredita que eles me serviram arroz gelado? Sério!

Comer no Paraguai é desaconselhável na maioria dos casos. Portanto, recomendo procurar opções em Foz mesmo. Se você quer comer bem e barato, uma sugestão é um self-service que tem dentro do Supermercado Muffato. É uma rede bem grande lá e não sei se tem em todos, mas vale a pena conferir.

Quantos dias são necessários para conhecer tudo?

Uma semana é tempo ideal para você conhecer bem Foz do Iguaçu e suas atrações, bem como Puerto Iguazu (Argentina) e Ciudad del Leste (Paraguai).


 

Veja também:




// Comentários

Nenhum comentário



 

2007-2015   //   Blog do Luis   //   Política de Privacidade   //   Eu creio em Deus