Resumo crítico do livro: Não me faça Pensar, Editora Alta Books

O que é usabilidade na internet? O que desenvolvedores, programadores, arquitetos e empreendedores precisam pensar para não fazer os usuários pensar? Veja a análise.

Home Tecnologia

Não me faça pensar – uma abordagem de bom senso à usabilidade na web é um livro de leitura agradável pouco denso e bastante ilustrativo. O autor Steve Krug percorre o caminho do bom senso para trazer a tona os problemas mais frequentes encontrados nos sites que acessamos na web. São menus pouco intuitivos, caixas de buscas pouco funcionais, botões confusos, textos mal diagramados e tudo isso parte de um mesmo princípio, a falta de um planejamento centrado no usuário e naquilo que ele conhece.

Chamou-me muito a atenção uma observação que o autor faz logo no início do capítulo 2: Quando criamos sites, agimos como se as pessoas fossem estudar atentamente cada página, lendo nosso texto muito bem posto, descobrindo como organizamos as coisas e pesando suas opções antes de decidir em qual link clicar.

O que realmente fazem na maior parte do tempo (se tivermos sorte) é dar uma olhada em cada nova página, examinar uma parte do texto e clicar no primeiro link que lhes interessar ou lembrar vagamente aquilo que estão procurando. Há geralmente grandes áreas da página que eles nem olham.

Resumo crítico do livro: Não me faça Pensar, Editora Alta BooksParece que este relato é o plano de fundo de todo o livro, onde o autor tenta mostrar de várias formas por meio de exemplos, estudos de casos e outros argumentos que a construção de um site deve ser pautada pela simplicidade no uso dos recursos a fim de evitar um ambiente complexo, onde os usuários não consigam encontrar o que procuram.

O livro Não me faça pensar é bem humorado e estruturado de forma a facilitar a leitura. Você pode ler o livro inteiro ou procurar palavras-chave que mais lhe interessa.

Desvantagens do livro.

Apesar de estar na segunda edição, o livro soa como se fosse antigo. Falta referência a recursos atuais como Flash, jQuery, padrões web, dispositivos móveis e as aclamadas redes sociais.

No entando acho que vale a pena a leitura principalmente por quem está envolvido com a criação de sites e aplicações na internet. O conceito de usabilidade no Brasil não é muito discutido e se pensarmos que temos uma população cada vez mais crescente na internet é justo preocuparmos com aquilo que estamos fazendo para esses usuários. Afinal, em muitos casos parece, eu disse parece, que os usuários nos dizem: Não me faça pensar!

Gostou? Compartilhe



 

Leia também:



© 2008-2019 | Professor Digital | Política de Privacidade | Em Jesus Cristo eu confio