Diferenças entre oficina, curso e workshop

Perceba o significado do termo oficina quando aplicado a educação, além de curso e workshop que muitas vezes parece ser a mesma coisa, mas há diferenças entre cada um. Veja uma análise com alguns exemplos de oficinas e cursos.

Home » Educação

No artigo a seguir, você poderá conferir quais são as diferenças, além de suas definições e características, entre os termos oficina, curso e workshop, e dessa forma compreender da melhor forma o que cada termo significa em sua área, e ainda conferir que as palavras diferem entre si, já que cada uma delas possui os seus devidos objetivos e finalidades.

Oficina

Oficina é o lugar de uma atividade laboral, principalmente artesanal ou manual, assim como a que desenvolve um mecânico ou eletricista. Saiba que quando usamos a palavra oficina em português, designamos um local de trabalhos técnicos ou manuais, como por exemplo, eletricidade, mecânica, carpintaria, entre vários outros. Também podemos referir oficina ao local de encontros, entre os estudantes e/ou profissionais para a solução de problemas comuns, como a oficina de música, de literatura, entre outros de várias áreas e conhecimentos.

O termo Oficina aliada ao treinamento tem como objetivo transformar em habilidade, algum conhecimento previamente adquirido. Se, eventualmente, o treinamento requer pouca informação e muita prática, então a oficina pode ser antecedida dessas informações em um só momento.

Oficina é também, por consequência, o local em que alguma habilidade manual é desenvolvida, como os exemplos acima citados.

Alguns exemplos:

  • Oficina de fotografia
  • Oficina de PHP. (Linguagem de programação usada na construção de sites dinâmicos)
  • Oficina de redação
  • Dentre outros.

Curso

palestrante professor aluno curso

O curso é uma palavra que pode definir os mais diversos fatores. Ou seja, temos o curso livre, de graduação, pós-graduação, entre várias outras áreas. Saiba que a legislação brasileira regulamentou a categoria Curso Livre, que tem como finalidade atender o público a partir do nível fundamental, com a meta de ofertar a profissionalização rápida para vários setores de atuação no mercado de trabalho.

Vale ressaltar que os cursos podem ou não serem devidamente reconhecidos pelo MEC/CAPES, e as escolas de curso livre são proibidas por lei de ofertar cursos de Bacharéis Graduações, Tecnológicos, Técnicos, entre outros, e muito menos de emitir diplomas.

No Brasil os cursos podem receber várias classificações de acordo com o nível de cada um. Basicamente poderíamos separar desta forma:

  • Cursos livres ou profissionalizantes: São cursos criados e mantidos por escolas profissionalizantes ou mesmo empresas com a finalidade de oferecer treinamento em uma área específica e geralmente com curta duração. Esse tipo de curso é abundante no Brasil e pode ser encontrado em vários locais e para diferentes áreas do conhecimento. São exemplos os cursos de idioma, de computação, e costura, de culinária, os treinamentos empresariais, dentre outros.
  • Cursos técnicos: são cursos regulamentados pelo Ministério da Educação e por isso obedecem a uma carga horária mínima, a um cronograma de desenvolvimento, eixos tecnológicos específicos, bem como autorização para oferta desses cursos. Existe no Brasil diversas escolas técnicas que oferecem esse tipo de informação, como exemplo podemos citar as escolas do Sistema S, como Senac e Senai, os institutos federais de educação profissional e tecnológica, o sistema Paula Souza no interior de São Paulo, dentre outros.
  • Ensino fundamental e médio: Embora não seja tratado como curso, na prática é uma formação escolar que é na verdade um curso.
  • Curso superior: o curso superior é aquele que acontece em uma faculdade, centro universitário ou universidade. O curso superior é a formação que acontece após o ensino médio e pode ser definido em dois grupos, sendo a graduação ou a pós-graduação.

Workshop

Apesar de workshop poder ser traduzido como “oficina de trabalho” é um termo que se situa entre a oficina, acima citada, e a palestra, convenção ou conferência. Nele, os participantes não necessitam executar alguma tarefa para desenvolver habilidade, mas permite que sejam expostos suas experiências e interpretações particulares. É permitido a exposição de painéis e debates.

Um workshop é uma reunião de grupos de indivíduos que estão interessados em um certo projeto ou atividade, para a devida discussão sobre o que lhes interessar e apenas pelo que eles desejarem, sem a necessidade de discussão. Vale lembrar que um workshop é diferenciado de uma palestra, por alguns fatores, já que nele a plateia não é somente uma mera espectadora. Em certos momentos, o auditório pode ser chamado para participar, geralmente vivenciando as experiências ligadas ao tema em debate. O workshop possui um caráter mais prático e a sua realização exige, do palestrante, uma ampla abertura ao diálogo, além do envolvimento.

Geralmente, no decorrer de um workshop, são estimulados os trabalhos de recortes, de organizações de painéis, recursos de multimídias e muito mais. As conferências ou as palestras são normalmente orientadas por um perito em certo assunto, e o workshop em continuação pode ser a fonte de contribuições ou de prática da inteligência e da criatividade.

Referências:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Oficina

https://pt.wikipedia.org/wiki/Curso_livre

https://pt.wikipedia.org/wiki/Workshop

Por Luis Ribeiro e Geraldo Martins de Souza


VEJA TAMBÉM:

CANAL NO YOUTUBE

INSCREVA-SE:



Sistemas Web

Playlist de SQL

Youtube Youtube Youtube
© 2021 - Utilidade Pública: Tecnologia, Educação e Cidadania.