Qual a diferença entre software livre e pago, open source e proprietário?

Veja uma análise sobre os vários tipos de softwares, como as licenças opén source, os modelos proprietários, a diferença entre hardware e software, bem como as várias nomenclaturas que ele pode ter, como sistema, programa e aplicativo.

Home » Tecnologia

Diferenciar hardware e software não é difícil. Já nas primeiras aulas de informática em qualquer escola, mostrar a diferença entre os dois é muito comum. Mas os softwares são mal compreendidos, mal-usados e muitas vezes de forma ilegal.

Software livre

Software livre ou não proprietários são aqueles que estão sob uma licença livre e que seu uso, modificação e distribuição são permitidos a todos. As principais licenças de software livre são a GPL e LGPL. São conhecidos também como open source, referindo-se a licença livre que eles tem. A primeira destina a usuários que ao modificarem ou incorporar um software livre em um trabalho próprio deverá disponibilizá-lo também sobre a mesma licença. Já a segunda é mais liberal e destina inclusive a softwares proprietários.

Software livre não quer dizer necessariamente de graça, este é um ponto importante a considerar, muitos softwares livres podem ser vendidos ou embutidos neles a venda de consultoria ou serviços agregados.

Exemplos de softwares livres:

  • Sistema Operacional Linux
  • Linguagens Java e PHP
  • Banco de dados MySQL
  • Os programas de escritório Open Office ou BrOffice (versão brasileira)
  • Entre outros.

Software pago

Os Softwares pagos ou proprietários são aqueles que tem um dono e o seu uso se dá mediante a uma licença comercial e na maioria das vezes paga. Os Softwares pagos não são diferentes comercialmente de qualquer outro produto, apenas observando que mesmo pagando por um software você estará recebendo apenas a licença ou direito de uso e não comprando o software propriamente dito.

As empresas que mais atuam no mercado de software pago são: Microsoft, Adobe, Corel, Autodesk, Apple, entre outras.

Exemplos de softwares pagos:

  • O sistema operacional Windows
  • O pacote de escritório Office (Word, Excel, Power Point)
  • O famoso programa de tratamento de imagens Photoshop
  • Os programas para web Dreamweaver, Flash e Fireworks
  • Os editores vetoriais: Corel Draw e Ilustrator
  • Entre outros.

Software livre e software pago

Usar Software livre e software pago é uma decisão de cada empresa ou indivíduo. Preço, licença, modelo de negócios, suporte e aplicabilidade são alguns pontos que devem ser considerados. Lembrando mais uma vez que nem sempre um software livre será de graça, como explicado no início.

Muitas pessoas, entre elas eu, fazem o uso mesclado de software livre e pago. É uma boa estratégia já que desta forma você pode explorar o que os dois lados tem de melhor.

Software como serviço

Uma nova modalidade de software surgiu nos últimos tempos com a exploração da internet como plataforma, trata-se do software como serviço, que são aqueles que você acessa via internet é paga um valor mensal para usar. Este tipo de software é considerado pago ou proprietário, mas difere apenas na forma de distribuição e cobrança. Quanto a distribuição, significa que ele não precisa ser baixado e instalado no seu computador. Quanto a forma de cobrança também difere já que ele não é vendido propriamente dito, mas é cobrado um valor para usá-lo apenas.

Alguns exemplos:

  • Office 365: A Microsoft adotou a modalidade de assinatura para o seu famoso pacote de escritório, o Office. Agora você paga uma assinatura mensal e desfruta do uso de seus aplicativos (Excel, Word, Power-Point e outros) tanto na versão instalada, como na versão online que pode ser acessada de qualquer dispositivo conectado a internet.
  • G-Suite: Outro exemplo é a suite de aplicativos do Google, conhecida como G-Suite e que tem aplicativos similares aos encontrados no pacote Office da Microsoft. A diferença é que aqui só existe a versão online e que também há uma versão gratuita que o Google Doc ou Documentos.
  • Photoshop: Quem diria que até o famosíssimo software de edição de imagens pudesse ser usado desta forma. A Adobe também aderiu ao serviço de assinatura e agora é possível ter acesso não apenas ao Photoshop, mas a outros produtos da empresa através da assinatura de uso como serviço.

Aplicativos para celular

E mais recentemente ainda surge os apps ou aplicativos para celular que diferentes dos modelos tradicionais. Eles não são softwares livres pois você não pode modificá-los ou colaborar com a melhoria deles. Mesmo os de uso gratuito entram na categoria de proprietários. Sendo assim, é possível encontrar nos apps as seguintes categorias:

  • Proprietários - não pagos ou gratuitos
  • Proprietários - pagos

Perguntas e respostas

Perguntas e respostas sobre o que é software e as diferenças para hardware, programa sistema e aplicativo. Entenda este conceito de informática e saiba diferenciá-lo.

O que é software?

Um computador, seja ele um desktop ou dispositivo móvel, é um equipamento eletrônico bastante sofisticado, contudo grande parte de sua sofisticação não está relacionado com a parte eletrônica dele e sim pelo conjunto de programas que ele usa. Esses programas são criados por engenheiros, analistas e programadores que utilizam as chamadas linguagens de programação para criar instruções para o computador a fim de realizar tarefas específicas. Esses programas são conhecidos também como software.

Qual a diferença entre software e hardware?

O hardware é toda a parte física de um computador ou dispositivo móvel. Neste caso o teclado, o monitor, o gabinete, a CPU que é o processador e conjunto de placas, mouse, entre outros. Já o software, como explicado acima são os programas que dão instruções ao hardware de como ele deverá funcionar. Algumas pessoas definem hardware como a parte física e software como a parte lógica.

Qual a diferença entre software e programa?

O primeiro é um termo em inglês e o segundo um termo em português, usados basicamente para designar a mesma coisa. Em alguns cenários muito específicos pode ser que faça mais sentido o uso de um termo do que o outro, mas na prática é a mesma coisa.

Qual a diferença entre software e sistema?

Teoricamente não há diferença e podem ser sinônimos. Contudo o termo sistema é usado em casos mais específicos e geralmente empregado em softwares mais robustos que compõe um conjunto de pequenos softwares ou mesmo que tenha sido projetado para múltiplas funções, como acontece com um Sistema de Gestão para gerenciar uma empresa. Neste caso ele tem módulos para compras, estoque, financeiro, produção, logística, entre outros. Em casos assim o termo sistema é mais empregado.

Qual a diferença entre software e aplicativo?

De novo encontramos termos sinônimos, mas como no exemplo anterior, aplicativo também é usado em cenários mais específicos, enquanto que software é genérico. O termo aplicativo ganhou força na internet e mais ainda nos dispositivos móveis como os smartphones. Nesses casos ele é usado para identificar pequenos programas ou softwares que podem ser instalados nesses dispositivos. O mesmo acontece com jogos e outros programas que podem ser acessados dentro das redes sociais, como o Facebook, por exemplo.

Um computador ou dispositivo pode funcionar sem um software?

Não. Todos os dispositivos requerem pelo menos o sistema operacional para funcionar e este é um bom exemplo de software. Para computadores PC é o Windows, para celulares e tables temos o Android, IOS para dispositivos da Apple ou o Windows Phone.

Quais as principais linguagens de programação usadas para criar software?

Java, C++, C#, Visual Basic, entre outros. São linguagens que usam basicamente a mesma lógica e algumas delas são mais direcionadas para cenários mais específicos.

 


VEJA TAMBÉM:

CANAL NO YOUTUBE

INSCREVA-SE:



Sistemas Web

Playlist de SQL

Youtube Youtube Youtube
© 2021 - Utilidade Pública: Tecnologia, Educação e Cidadania.